Darkside  

Voltar   Darkside > Darkside > Entretenimento

Responder
 
Thread Tools
maxcool
Banned
 

PSN ID: atcasanova
03-09-08, 09:26 #76
jeep
eu pensei exatamente a mesma coisa que você... também lembrei da parte q o pai jura bla bla bla... e tb achei q ele faria isso q vc falou no final do post... mas anyway, nao gostei do filme

1408 > mist³





maxcool is offline   Reply With Quote
Darth Maul
Dungeon Master
 

XFIRE ID: DS_maul Steam ID: darth_ds
03-09-08, 11:14 #77
Eu ia falar a mesma coisa que o Jeep falou

[SPOILER]
Nunca tive a impressão que ele desistiu fácil demais, acho que depois de dois dias presos no mercado e sabe-se lá quanto tempo dirigindo num mundo completamente morto e dominado pelos monstros, o momento em que acaba a gasolina todos eles ficam com aquela cara de "fim da linha", "beco sem saída"

Gostei muito do filme, apesar de achar que o tema do filme (que não tem nada a ver com os monstros nem a névoa) já foi explorado de forma mais sutil e mais bem-humorada por George Romero nos filmes originais de Mortos Vivos. De qualquer maneira é um tipo raro de filme de terror hoje em dia, atualmente só tem filme de terror acéfalo pra gente acéfala

Darth Maul is offline   Reply With Quote
Slimer
Trooper
 

XFIRE ID: Slimer0 Steam ID: slimer0
11-09-08, 00:24 #78
Olha que crítica fuderosa do Pablo Villaça sobre o filme
Quote:
Quem são os verdadeiros monstros vistos ao longo de O Nevoeiro, filme inspirado em um angustiante conto de Stephen King: as criaturas agressivas que surgem inexplicavelmente do cobertor branco que envolve misteriosamente uma cidadezinha ou os humanos que, presos num supermercado e amedrontados pelos seres que os cercam, passam a agir de maneira quase irracional, voltando-se uns contra os outros? Pois se os monstros literais concebidos por King ao menos têm a desculpa de sua irracionalidade e do instinto carnívoro que guia suas ações, os indivíduos que se encontram no supermercado tornam-se ainda mais repulsivos justamente porque revelam que, abolidas as regras que os mantinham contidos, as facetas mais podres de suas personalidades se expõem ao claro em questão de horas.



Adaptado por Frank Darabont, o roteiro nos apresenta, já de saída, ao pintor David Drayton (Jane), que surge finalizando a arte do cartaz de um filme (aliás, uma de suas peças antigas lembra bastante o pôster de O Enigma de Outro Mundo). Quando uma tempestade se anuncia, David se recolhe ao porão com a esposa e o filho, o pequeno Billy (Gamble), e, na manhã seguinte, descobre que sua propriedade sofreu danos terríveis durante a noite. Percebendo a necessidade de comprar mantimentos, ele se dirige à pequena cidade vizinha ao lado de Billy e do advogado Brent (Braugher), que mora ao lado de sua casa e com quem teve desentendimentos no passado. Quando uma densa névoa subitamente desce sobre a cidade, porém, David e dezenas de outros residentes locais ficam presos no supermercado depois de descobrirem que, em meio ao nevoeiro, encontra-se uma ameaça de natureza misteriosa.



Responsável por duas magníficas adaptações de trabalhos de King (Um Sonho de Liberdade e À Espera de um Milagre), Darabont acerta mais uma vez ao compreender a natureza do texto original do escritor, que empregava o terror como uma mera ferramenta para analisar o comportamento de seus personagens e os dilemas morais e religiosos que os impelem uns contra os outros. Assim, O Nevoeiro equilibra-se de maneira inteligente entre os momentos dramáticos, que se concentram em questões maiores, e as seqüências de ação, que surgem carregadas de tensão e sangue. Aliás, o cineasta também revela seu talento ao criar uma atmosfera intensamente claustrofóbica que mergulha o espectador numa angústia similar à dos personagens – e não deixa de ser curioso (e, de certa forma, paradoxal) que, por contar com uma fachada de vidro transparente, o supermercado brilhantemente concebido pelo diretor de arte Alex Hajdu se revele tão sufocante, já que permite que vejamos sem obstruções a impenetrável brancura da névoa. Da mesma forma, ao investir com freqüência em planos mais fechados, o diretor de fotografia Ronn Schmidt ressalta a sensação de sufocamento, mantendo-nos desconfortavelmente próximos de todas aquelas pessoas (que, diga-se de passagem, estão passando por situação similar).



Igualmente ciente da importância de construir gradualmente o clima de terror de sua narrativa, Darabont inicialmente fornece apenas alguns indícios de que algo está errado, como a mobilização rápida dos militares e a ausência de sinal dos telefones celulares – e, em contraste, a calma inicial do protagonista se torna enervante para o público. No entanto, quando finalmente revela a natureza das ameaças presentes na névoa, o diretor não hesita em criar imagens de violência extremamente gráficas, acertando especialmente na construção precisa da ótima (e apavorante) seqüência do ataque noturno ao supermercado, que retrata muito bem o caos no qual a multidão afunda. Vale apontar, aliás, que Darabont e o montador Hunter M. Via fazem a curiosa opção de incluírem um fade out depois de cada acontecimento mais chocante, torturando o espectador com elipses que negam, a este, acompanhar os instantes que se seguem imediatamente aos ataques.



Mantendo-se bastante fiel ao texto de King durante a maior parte do tempo (felizmente, Darabont teve o bom senso de excluir a implausível cena de sexo que prejudicava o conto), o roteiro apresenta os personagens de maneira natural através de diálogos que raramente soam expositivos – e é interessante notar que, a princípio, o papel de “líder” cabe ao antipático Brent, já que David se mostra mais preocupado em cuidar do filho, assumindo apenas gradualmente seu posto de protagonista (e Thomas Jane ilustra esta transição de maneira natural e convincente, acertando também nas cenas mais dramáticas). E enquanto Toby Jones se distancia de Truman Capote ao surpreender como um homem aparentemente inofensivo que se revela mais valente do que supúnhamos, o garotinho Natham Gamble surge mais do que apropriado como uma criança que, como qualquer outra naquela situação, imediatamente regride emocionalmente, tornando-se ainda mais dependente do pai. Aliás, num elenco que se mostra bastante homogêneo, o único destaque negativo fica por conta de Sam Witwer, que, como o soldado Jessup, se entrega a um exagero terrível em sua cena mais importante – além, claro, de ainda surgir com sobrancelhas cuidadosamente pinçadas que, estranhas num militar como aquele, transformam o personagem numa espécie de elfo drag queen.



Mas se o exagero de Witwer é um aspecto negativo do longa, a performance nada sutil de Marcia Gay Harden é, em contrapartida, um de seus pontos fortes, provando que uma atriz talentosa é capaz de acertar mesmo quando investe numa quase caricatura. Evangélica fundamentalista, a repugnante Sra. Carmody se transforma, ao longo de O Nevoeiro, no ser mais ameaçador do filme: condenando a falta de Fé ou o que julga “imoral” no comportamento alheio, ela se revela a pior de todas aquelas pessoas ao utilizar o medo dos companheiros como ferramenta de recrutamento religioso – e não há dúvida que, independentemente do valor de cada crença, o pavor da morte e o pânico diante do desconhecido sempre foram os grandes impulsionadores das religiões ao longo da História. Assim, é reconfortante perceber que, apesar de tudo, nem todos se deixam impressionar pela versão repulsiva de Fé representada pela sra. Carmody, como podemos notar no instante em que um sujeito grandalhão, confrontado pela mulher, argumenta que seu Deus não é o “sádico sedento de sangue” por ela alardeado. Por outro lado, não deixa de ser intrigante que Darabont inclua elementos, ao longo da projeção, que certamente poderiam ser utilizados para apresentar a beata como algo maior do que uma simples fraude, como na cena em que ela enfrenta uma criatura voadora que pousa em seu corpo e, claro, ao retratar a pose que ela assume em seu plano final no filme.



Porém, O Nevoeiro oferece mais do que apenas a discussão sobre o fundamentalismo religioso ou a contraposição entre Fé e Ciência: como numa versão adulta de O Senhor das Moscas, o filme se revela extremamente pessimista no que diz respeito à natureza humana, questionando abertamente nossa capacidade de viver harmoniosamente numa Sociedade desprovida de vigilância constante das autoridades e que não seja regida por leis firmes – e é uma pena que, durante uma cena ambientada num depósito, Darabont acabe exagerando ao transformar uma conversa interessante entre vários personagens em uma pregação artificial que parece determinada a martelar o espectador com as mensagens do filme, como se não fôssemos capazes de compreendê-las sem que alguém as soletre de maneira óbvia. Em contrapartida, é preciso aplaudir a coragem do diretor/roteirista ao encerrar a narrativa num dos exemplos mais cruéis de ironia dramática que o cinema Hollywoodiano ofereceu nos últimos anos (e é bastante provável que o terror daqueles minutos finais envie muitos espectadores para fora do cinema com um gosto terrivelmente amargo na boca, ofuscando injustamente a eficácia do longa).



Mas o mais assustador é pensar que, aqui fora, no mundo real, monstros gigantescos devoradores de carne humana podem até não existir, mas criaturas monstruosas como a Sra. Carmody podem ser encontradas facilmente em cada esquina estendendo a mão esquerda em busca de dízimos enquanto, com a mão direita, sacodem a Bíblia de maneira equivocada, utilizando-a para envenenar seus seguidores contra os próprios irmãos. E estes seres, infelizmente, são aparentemente indestrutíveis.
Show.

Slimer is offline   Reply With Quote
DiE LuCiaNo
Trooper
 

Steam ID: luhdie
11-09-08, 03:14 #79
Nossa, ótima crítica, contando com a boa escrita do texto.
Onde encontro mais críticas dele?

DiE LuCiaNo is offline   Reply With Quote
Slimer
Trooper
 

XFIRE ID: Slimer0 Steam ID: slimer0
11-09-08, 03:26 #80

Slimer is offline   Reply With Quote
DiE LuCiaNo
Trooper
 

Steam ID: luhdie
11-09-08, 03:34 #81
Valeu =*

DiE LuCiaNo is offline   Reply With Quote
u3663
Trooper
 

11-09-08, 09:36 #82
Wow Slimer, o cara é um puta critico.

Gostei de vários reviews dele e no site tem uma penca.

Vlw!!!

u3663 is offline   Reply With Quote
Roger Young
Forever Young
 

21-09-08, 15:28 #83
acabei de assistir,,, não no cinema, mas sim do que baixei faz alguns meses e que só agora me deu curiosidade em assistir.

Baum, pra mim, mais um filme estilo "Cloverfield", e como estou a pkos dias de ter assistido Blindness então vi algo de distorção social, em que o que vale é a sobrevivência.

Acho que Stephen King curte aranhas, pq me fez lembrar de outro conto dele, IT.

O final achei bem dramático e ultra-supra frustrante, [SPOILER] não achei que os monstros seriam massacrados (isso se foi) por mãos humanas, pq se foi o próprio Exército que provocou a vinda deles, pq demoraram tanto pra resolver isso. Acho que foi algo muito sobrehumano em que foi solucionado com muita facilidade.

Roger Young is offline   Reply With Quote
serjaum
Master Chief
 

Gamertag: serjaum
23-09-08, 23:01 #84
achei fantastico o filme
assisti agora.....takepariu q final fodastico

[SPOILER]qdo ele matou todo mundo, falei pra muieh q soh faltava a nevoa sumir euahiehauehaiu

foi o melhor filme q vi nesse ano....kcta

serjaum is offline   Reply With Quote
krusty
Trooper
 

Steam ID: krystu86
24-09-08, 00:28 #85
Serjaum um homem parado no tempo . . . .


Mas o filme eh mt bom mesmo.

krusty is offline   Reply With Quote
Gunner
Doctor
 

28-01-09, 19:13 #86
um up no post! ahueheau!

caralho...demorei mas assisti...aheuheau!

foda mesmo! esse ano (ainda me incluindo em 2008) assisti 2 dos melhores filmes de terror que já vi... REC E THE MIST!

[SPOILER]Melhor do final é ver auela pobre senhora que saiu sozinha no começo sem conseguir ajuda de ninguem, restada com seus filhinhos...foda!

Gunner is offline   Reply With Quote
SuN WaR
Trooper
 

Gamertag: samuelpires Steam ID: sunwar
28-01-09, 19:23 #87
Adoro filme de monstro no estilo Lovecraft, tipo alone in the dark, eheheh

SuN WaR is offline   Reply With Quote
Vassourada
Cada vez mais ridículos
 

29-01-09, 10:13 #88
Eu nunca tinha parado pra raciocinar que o diretor dessa jossa é o Darabont.
O maluco SÓ SABE fazer adaptação do King, pqp !

# The Mist (2007)
... aka Stephen King's The Mist (USA: complete title)

# The Majestic (2001)

# The Green Mile (1999)
... aka Stephen King's The Green Mile (USA: complete title)

# The Shawshank Redemption (1994)

# Buried Alive (1990) (TV)

# The Woman in the Room (1983)
... aka Stephen King's Night Shift Collection (USA: video box title)
... aka Stephen King's Nightshift Collection Volume One: The Woman in the Room (USA: video box title)

Mas tava lendo que ele deve fazer o remake de Fahreint 451... interessante.

Vassourada is offline   Reply With Quote
kaolhooo
Trooper
 

PSN ID: kaowill
15-11-09, 01:00 #89
rainsefonogrei

bom
eu li o conto esse mês e assim que terminei aluguei o filme e acabei de assistir
gostei da adaptação
e não tinha como fazer o final do livro, ia dar mto mais chiaço do que já deu...

obvio que goste mais do livro.. o final no estilo "imagine daqui em diante" e tal
achei meio forte o final e que realmente eles desistiram muito rápido, NUNCA que o pai ia matar o filho, sei lá

mas tbm falaram um argumento válido, que o pai preferia matar o filho doq ver ele sofrer com os monstros..

mas a história no livro é mais coerente, com crateras e tal, os monstros sairam da própria terra, o que o exército fez de certo foi superdimensionar e modificar criaturas já existentes na terra..

mas po, massa

kaolhooo is offline   Reply With Quote
krusty
Trooper
 

Steam ID: krystu86
15-11-09, 01:51 #90
Quote:
Postado por krusty Mostrar Post
Serjaum um homem parado no tempo . . . .


Mas o filme eh mt bom mesmo.
kaolho um homem parado no tempo . . . .

Mas o filme eh mt bom mesmo.

krusty is offline   Reply With Quote
Sussa
Pit
 

Steam ID: sussa
15-11-09, 09:59 #91
não sei como ninguém gritou ainda:
THERE IS SOMETHING IN THE MIST!!!

Sussa is offline   Reply With Quote
Kerpa!100
Carry
 

PSN ID: Kerpa100 Steam ID: Kerpa Wii Code: 1715 1365 8365 5261
15-11-09, 15:55 #92
Isso é do THE FOG

Kerpa!100 is offline   Reply With Quote
vegetous
Trooper
 

XFIRE ID: carniceiru
07-03-10, 18:31 #93
Nossa cabei de ver o filme e só uma coisa a dizer; TENSO!

vegetous is offline   Reply With Quote
Shooter
Trooper
 

PSN ID: g_baladao Steam ID: shooter_g
09-03-10, 10:42 #94

vão tomar nos seus cus, ninguem poe o trailler

pelo trailer parece bom, baixarei+verei

Shooter is offline   Reply With Quote
vegetous
Trooper
 

XFIRE ID: carniceiru
28-10-21, 16:42 #95

Mais de uma década depois, esse filme continua foda!

vegetous is offline   Reply With Quote
Responder

Thread Tools

Regras de postagem
Você não pode criar novos tópicos
Você não pode postar
Você não pode enviar anexos
Você não pode editar seus posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off

Atalho para Fóruns



O formato de hora é GMT -3. horário: 06:30.


Powered by vBulletin®
Copyright ©2000 - 2022, Jelsoft Enterprises Ltd.
User Alert System provided by Advanced User Tagging (Lite) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2022 DragonByte Technologies Ltd.