Darkside  

Voltar   Darkside > Darkside > Comunidade

Responder
 
Thread Tools
SsjGohan
Trooper
 

12-11-13, 16:48 #76
ok
Sua lógica é abrir um tópico para discutir, e depois vc não quer explicar sue ponto de vista, pq alguém lá na china já escreveu sobre ele e eu por ser ignorante não li o artigo do cara....

Blz
Discussão encerrada


Se eu tivesse paciencia poderia até achar os tópicos dos petistas nas discussões das eleições q tem EXATAMENTE as mesmas palavras.
"Eu li em tal lugar, pq sou culto e não vou explicar pra vcs"
Justamente quando confrontados com questões simples do dia a dia e confrontam as ideias deles.






Last edited by SsjGohan; 12-11-13 at 17:00..
SsjGohan is offline   Reply With Quote
Bombastic
The Alpha Male
 

12-11-13, 16:59 #77
Quote:
Postado por Baron Mostrar Post
Bomba, eu sei aonde você pode encontrar os artigos para pensar sobre. Não é questão de "saber", porque existem várias ideias conflitantes. Isso é normal. O que se tem que fazer é tomar por lógica e base histórica.

Por exemplo, o Gohan fala de velho-oeste como sendo algo caótico. Isso não condiz com muitos artigos e livros de várias fontes diferentes. De qualquer maneira quando digo que já existiu se trata das colônias americanas. Claro que outros fatores, que não na forma "pura", são visíveis em muitos lugares. Enfim, tem muito dado (aka fato) pra se debater em cima.

Quanto à definição de regulamentação: s.f. Ato de fixar por meio de regulamento.
Conjunto de medidas legais ou regulamentares que regem um assunto: a regulamentação da lei do inquilinato.

Lei está incluída aí, então my bad, ÓBVIO que as leis são necessárias. Sempre serão. Pra você ter uma ideia, se diz "sociedade de livre contrato" para os libertários mais "radicais".

Acontece que a tal regulamentação não precisa vir toda do governo. Exemplos? Tribunais de arbitragem, cada vez mais comuns... é o mercado fazendo melhor que o estado no cumprimento das leis.


Olha, eu não sou o Eon, que tem paciência para explicar tudo que já está escrito em algum lugar. Eu prefiro citar as fontes e discutir em cima delas.

É uma característica minha, eu acho uma perda de tempo enorme parafrasear o que já existe. Além do mais, não sou o tipo de pessoa que aceita ficar no meio da roda apanhando de todos os lados, com o agravante de, mais uma vez, ter que explicar tudo que já está escrito. É muito improdutivo.
o "saber" que disse ali em cima, era em relação a sua opinião mesmo, pois obviamente neste caso não existe certo e errado

Imagino que a gente acredite em coisas MUITO similares nesta questão de livre mercado/economia/governos

Queria saber +-, se você tiver um tempo, quais são os pontos mais críticos que você acha que o governo deveria intervir de alguma maneira pra ver o quão próximo ou distantes estamos nisso hehe

Bombastic is offline   Reply With Quote
Jeep
fagmin
 

XFIRE ID: ds-jeep Steam ID: jeep_ds
13-11-13, 10:18 #78
o grande problema é que um monte de coisa nao funciona. Situacao classica de telefonia/internet, se vc vai reclamar e na sua area so tem aquela empresa, ou vc entra com um processo contra uma empresa que deve ter uns 500 advogados fodoes que so fazem isso da vida ou liga pra anatel que tem pinto grande suficiente para resolver. Pelo menos comigo funcionou em 90% dos casos (serio), rra abrir o chamado, esperar no maximo 1 semana (em geral 2 dias) e alguem da operadora me ligava todo pianinho ja sabendo do que se tratava, sem que eu tivesse que repetir a historia ou passar meus dados e ja com uma solucao perfeitinha.

E serio, nao é pq tem vinte padarias no seu quarteirao que ao ser prejudicado em uma que vc apenas deve ir na proxima, eu acho que a pessoa que monta uma empresa tem que seguir regras do seu ramo, se vc nao segue, vc esta agindo de ma fé e deve ser punido por isso, e nao ficar esperando o proximo pato desavisado usar seus servicos.

AGORA, obvio que isso é lindo, so que nosso amado estado nao tem fiscais suficientes e nem tem aquela tecnica maravilhosa de ficar rodiziando os mesmos, gerando a gangues que estao a 20 anos fiscalizando no mesmo local e nao fazendo nada e ficando trilhonarias com um salario de gente normal. Mas falar o que, se nem pra fiscalizar azeite, imagine "fiscalizar fiscal"?

 

Jeep is offline   Reply With Quote
Eon
Trooper
 

13-11-13, 10:42 #79
Não tem que ter regras Jeep, tem que ter apenas concorrência e justiça.

Simples assim.

Nos EUA você simplesmente voltaria no supermercado e devolveria o produto se ele fosse ruim, no questions asked, entende a diferença? E caso realmente se tratasse de algo muito grave tipo propaganda enganosa ou adulteração do produto você processaria o fabricante e ficaria milionário.

Sério, essa experiência de entrar numa loja e dizer "desculpe, mas eu não quero isso, aqui está o produto e me devolva meu dinheiro" é uma das experiências mais sublimes que você pode ter como consumidor. Tente isso na próxima ver que você for uma best buy da vida, chega a ser engraçado, pois você brasileiro acostumado a ser estuprado e sacaneado o tempo todo por todo mundo vai com aquela cara de quem está pedindo desculpas e os caras que atendem assumem a postura de "cara, só estou fazendo o meu trabalho, volte sempre e obrigado por escolher a nossa loja". É foda, não tem como descrever.

Mas isso é uma forma de pensar a economia inteira: lá todo mundo entende que os riscos de fabricar um produto são do produtor, não do varejista e nem do consumidor. Cada iPhone que a Apple solta no mercado ela tem que se ver com a possibilidade das pessoas comprarem o aparelho, abrirem a caixa e acharem o aparelho um lixo, voltarem na loja com a embalagem estropiada e dizer: "obrigado, mas eu quero meu dinheiro de volta. Fique com esta droga". Sabe o que isso provoca em escala e ao longo do tempo? Responsabilidade. Eficiência. O fabricante sabe que ele não pode se dar ao luxo de fazer um produto de merda, ou então ele vai morrer com TODO o prejuízo. O consumidor devolve o produto pro varejista. O varejista devolve pro fabricante e nunca mais compra mais nada dele. Fim da história.

Aqui você tem agências reguladoras, um monte de leis, tributos e o escambau, e pra que isso tudo serve? A capacidade do governo de fiscalizar é muito mais limitada do que a do próprio consumidor, quem pode saber melhor do que você mesmo se uma determinada empresa está sendo justa ou não?

Não precisamos de mais agências nem muito menos mais regulação, aliás é justamente por que temos esse monte de regras que nossos produtos estão sempre entre os mais caros e piores do mundo, azeite é só mais um item da lista, coloque aí todo resto que a carapuça serve também.


Last edited by Eon; 13-11-13 at 10:51..
Eon is offline   Reply With Quote
Eon
Trooper
 

13-11-13, 11:04 #80
Aliás aconteceu uma coisa engraçada numa Marshall's uma vez. Fomos lá e minha mulher comprou um óculos escuro de marca, desses que no brasil custa 800 reais e lá custa 30 dólares, enfim, ela comprou isso e mais um monte de coisas, pagou e colocou tudo dentro de uma sacola, chegamos no hotel e o quarto estava uma zona, abarrotado de coisas que já tínhamos comprado pra nós e para nossos amigos e parentes cuban... quero dizer, brasileiros, e quando fomos arrumar tudo... cadê os óculos?

Logo pensamos, caramba, a vendedora esqueceu de colocar os óculos na sacola, mas estava na nota fiscal, então levamos de volta na Marshall's e explicamos a situação, mas não levou 2 ou 3 minutos a vendedora já tinha aparecido com outros óculos iguaizinhos, ainda pediu desculpas pelo inconveniente, foi super simpática, etc.

Chegamos no hotel e qual a primeira coisa que nós achamos no meio da bagunça? Outro óculos. Putz. Culpa nossa, desorganização nossa. Pegamos os óculos e voltamos na loja, dissemos "mil perdões, nosso quarto estava uma bagunça e não vimos, não foram vocês que esqueceram, fomos nós que tinhamos perdido, mas aqui está, etc, etc".

E qual foi a reação da vendedora? Ela derramoooooooouuuuu, elogios pra gente, "oh, you are so sweet, you are so honest, don't worry, I understand, come back any time, thank you, bla, bla, bla".

Cara, se essa situação tivesse ocorrido no Brasil eu não saberia nem por onde começar a comparação, sério.

Eon is offline   Reply With Quote
Jeep
fagmin
 

XFIRE ID: ds-jeep Steam ID: jeep_ds
13-11-13, 11:27 #81
mas ai entra a cultura local, certo? o simples fato de ter uma quantia significativa de vendedores do ebay e do aliexpress que nao fazem mais negocios com brasileiros, justamente devido ao abuso da regra "o cliente sempre tem razao" deixa evidente que funciona pq ninguem abusa, pq se fosse aqui...


Jeep is offline   Reply With Quote
Blazed
Trooper
 

13-11-13, 11:34 #82
essa foi a coisa mais heuhuehuehue i report u que eu vi ultimamente

Blazed is offline   Reply With Quote
Eon
Trooper
 

13-11-13, 11:42 #83
Eu acho que aí entra a justiça, não a cultura.

A realidade é que americano tem medo pra caramba de ser pego fazendo coisa errada, porque a punição é certa Jeep, e é pesada pra caramba.

Vou dar um exemplo que aconteceu comigo nessa mesma viagem que mencionei acima: eu estava num bairro desconhecido tentando voltar para o hotel e o GPS era daqueles que não te deixa programar a menos que o carro esteja parado, saca? Então eu olhei para o lado e vi na beirada da rua um gramado bem pequeno, tipo uma área de descanso, não havia guia nem nada, era como se fosse um acostamento pequeno, só que não era um acostamento de fato... eu achei que era, e parei ali. Mas parei assim, tipo 1 minuto no máximo apenas para programar o GPS.

Pois nesse 1 minuto colou uma viatura no meu vidro com uma policial pra lá de mal encarada querendo saber o que eu estava fazendo e ORDENANDO que eu "move on", ou seja, "não quero saber qual a razão de você estar aí, mas saia AGORA ou você vai se ferrar."

Em outra ocasião eu estava guiando pela cidade e vi uma entrada pra um subúrbio, eu nunca tinha visto aqueles bairros residenciais americanos de perto e resolvi entrar para dar uma olhada. Adivinha, primeira esquina que viro dou de cara com uma viatura já de olho na minha movimentação, pergunta se eu tive coragem de estacionar o carro que fosse para dar uma olhadinha mais de perto em alguma casa, eu simplesmente dei meia volta e fui embora.

E é assim que a coisa funciona lá, todo mundo está de olho em tudo, tem polícia em todo lugar, e pra falar a verdade o clima de controle é grande o suficiente pra que nós, que estamos acostumados com baderna generalizada aqui no Brasil, fiquemos até um pouco noiados com o clima "pesado" de vigilância.

O que eu quero dizer é que americanos não são anjinhos, pelo contrário, só que:

1 - Eles não tem necessidade de ser malandros tanto quanto nós, porque lá as coisas são MUITO mais acessíveis para uma pessoa comum do que são aqui no Brasil, na média.

2 - Os malandros quando são pegos lá se ferram, enquanto no brasil nada acontece. Logo você que não é malandro acaba sendo tratado como um o tempo todo visto que as lojas/empresas não tem como saber quem é quem e não podem morrer com todo o prejuízo só porque a justiça do país não faz a sua parte.

Eon is offline   Reply With Quote
Eon
Trooper
 

13-11-13, 11:55 #84
Só um comentário extra: eu NÃO acho que o garotos aí do vídeo estavam errados. Não mesmo.

Existe uma coisa no Brasil que é infernal que se chama insegurança jurídica, isto é, as pessoas aqui simplesmente não respeitam os contratos sendo que a vida é feita de contratos, pois isso aqui a vida é um caos e ninguém consegue viver em paz. Se porcaria da máquina diz que você "pode encher o copo quantas vezes quiser" então é isso que vale, e a porcaria da loja tem que respeitar o contrato ou então fazer o favor de escrevê-lo direito da próxima vez. Na realidade eu tenho bastante certeza que se essa situação tivesse ocorrido nos EUA e houvesse realmente fundamento jurídico na ação dos rapazes provavelmente a loja teria sido processada por constrangimento ilegal, afinal de contas eles não tem o direito de desligar a máquina nem chamar seguranças se os clientes apenas estão fazendo valer a promoção que a própria loja criou.

Uma outra coisa que é impressionante no Brasil é o empenho dos funcionários (e aqui falo dos funcionários mais rasos quase sempre) de glosar o direito do consumidor de todas as formas possíveis tendo em vista o interesse do patrão, e não o interesse da parte mais fraca. Veja nesse vídeo que a coitada que atende ali o dia todo provavelmente para ganhar um salário mínimo fica visualmente DESESPERADA com a tentativa dos rapazes de pegar o refrigerante, como se estivessem roubando o refrigerante DELA e não do patrão, assim como os seguranças que são outros coitados já chegam intimidando os rapazes como se fossem os donos do shopping, isto é, o zelo em proteger a parte mais fraca aqui no Brasil inexiste completamente e a opressão parte exatamente dos mais fracos para com os mais fracos, o que é vergonhoso.

Eon is offline   Reply With Quote
SsjGohan
Trooper
 

13-11-13, 12:02 #85
Por isso brasileiros precisam ser regulamentados auhuhahuauha
Vendedor é fdp
Cliente é fdp
Governo é fdp

Aqui é terra de ninguém mesmo

SsjGohan is offline   Reply With Quote
Eon
Trooper
 

13-11-13, 12:05 #86
http://gizmodo.uol.com.br/milhas-aereas-pudim/

Como um engenheiro ganhou 1,25 milhão de milhas aéreas comprando pudim
Por: Karl Smallwood
19 de setembro de 2013 às 14:31 2140075
pudim
Milhas aéreas são incríveis. Elas podem ser usadas para voos ou estadias gratuitas em hotéis, e, se você tiver sorte, também podem gerar ódio e desprezo de todos com quem você entra em contato e precisam pagar o preço inteiro quando viajam. O rei das viagens virtualmente gratuitas é David Phillips, um engenheiro civil que também é professor da Universidade da Califórnia.

David ganhou destaque na mídia quando conseguiu converter cerca de 12.150 potes de pudim de chocolate Healthy Choice em um milhão de Milhas Aéreas. Desde então, David e sua família estão viajando pelo mundo por quase nada.

Como ele conseguiu fazer isso? Bem, antes de mais nada, precisamos explicar que tipo de homem David Phillips é; ele é o tipo de cara que lê todos os mínimos detalhes impressos em fontes minúsculas nas coisas. O tipo de cara que aprendeu a contar cartas para nunca ser enganado em um cassino. Phillips já disse que poderia ter se tornado um jogador profissional de cartas se não fosse pela fumaça de cigarro. Sim, este cara – segundo ele mesmo – poderia ser um jogador de cartas milionário, mas ele aprecia mais o ar fresco do que o cheiro desagradável do sucesso.

Seu mais famoso empreendimento foi em 1999, quando ele descobriu que a Healthy Choice estava fazendo uma promoção em sua seção de pratos congelados. A oferta era a seguinte: a cada 10 códigos de barras dos produtos da empresa enviados por uma pessoa, ela ganharia 500 Milhas Aéreas. No entanto, a empresa estipulou que os primeiros clientes a resgatarem os pontos das ofertas no primeiro mês receberiam o prêmio em dobro, ou seja, a compra de 10 dos seus produtos renderia 1.000 milhas aéreas.

Ao entender os detalhes da promoção, David vasculhou supermercados próximos à sua casa para ver qual produto oferecido tinha o melhor potencial de retorno. Depois de um trabalho bem chato, ele encontrou o que estava procurando – uma rede de supermercados que vendia cada pote individual de pudim de chocolate por US$ 0,25 cada. Isso significava que com US$ 2,50 ele conseguiria 1.000 milhas aéreas.

Percebendo o incrível retorno que ele estava para receber, David visitou todas as lojas da rede em um dia e comprou todos os potes de pudim Healthy Choice que encontrou.

Você provavelmente está pensando agora que um sujeito entrando em diversas lojas e pedindo para comprar todos os pudins Healthy Choice disponíveis, até no estoque, é um pouco suspeito, e se alguém questionou o que ele estava fazendo, e, se soubessem da história, também iam querer entrar na jogada, certo? David aparentemente imaginava isso e, enquanto comprava os pudins, disse às pessoas que estava fazendo isso para estocar para o ano 2000 que estava chegando.

Ao todo, David gastou cerca de US$ 3.000 em pudim, o que parece muito, mas não é quando você pensa que o valor total em dólar em milhas que ele estava para receber superava US$ 150.000. No entanto, antes disso, ele ainda precisava enviar todos aqueles códigos de barras.

De acordo com David, sua esposa ficou com bolhas de tanto descolar centenas de adesivos, e seus filhos e colegas de trabalho cresceram fisicamente e ficaram doentes de tanto comer pasta de chocolate. Além disso, ele duvidou se seria capaz de destacar todos aqueles códigos de barras a tempo de se qualificar para a primeira parte da promoção – a que garantia as milhas aéreas em dobro.

Foi aí que ele teve outra ideia – por que fazer sua esposa e filhos sofrerem quando ele poderia pedir para outras pessoas trabalharem para ele?

David entrou em contato com o Exército da Salvação local com uma oferta; se eles oferecessem um punhado de voluntários para ajudar a retirar os códigos de barras dos pudins, ele doaria todos os pudins para eles. Mas eis a parte bonita: isso foi considerado uma doação de caridade, que permitiu que David tivesse US$ 800 em deduções fiscais no fim do ano.

Os benefícios do esquema de David não pararam por aí. Após enviar os códigos de barras e receber de volta as 1.280.000 milhas (ele conseguiu algumas além do que conseguiria só com os pudins porque também comprou sopas a 90 centavos antes de perceber que esse método era para perdedores), ele agora tinha oficialmente mais de um milhão de milhas, o que dava a ele um acesso vitalício a algo chamado “Clube de Vantagens American Airlines”, rendendo a ele e a sua família voos incríveis para o resto da vida deles.

Mas não chegamos na melhor parte ainda. David provavelmente nunca vai ficar sem milhas porque ainda ganha milhas a uma velocidade 5x maior do que gasta, além de viajar frequentemente, graças a vários programas de incentivo que ele sempre está de olho para conseguir explorar do jeito que fez com o esquema do pudim. Hoje, ele tem mais de 4 milhões de milhas em suas várias contas e já voou para mais de 20 países e tirou diversas férias nesse tempo.

No fim, para um custo inicial de US$ 3000 (ou pouco mais de US$ 2000 se você considerar a dedução fiscal), e alguns outros acordos parecidos que ele se aproveitou para melhorar seus números, David nunca mais precisar pagar por outro voo pelo resto da sua vida. Um gênio.


____________________________________________________________

"Ah, mas o cara abusou da promoção". Ué, então na próxima vez faça a promoção direito.

Agora responda sinceramente: o que você acha que teria acontecido se essa história tivesse ocorrido no Brasil?

Aehaehauheuaheuahe.

Eon is offline   Reply With Quote
Eon
Trooper
 

13-11-13, 12:08 #87
Quote:
Postado por SsjGohan Mostrar Post
Por isso brasileiros precisam ser regulamentados auhuhahuauha
Vendedor é fdp
Cliente é fdp
Governo é fdp

Aqui é terra de ninguém mesmo
Cara, eu já acho que ninguém é FDP assim por "default".

Não existe relação mais honesta do que aquela onde alguém quer vender alguma coisa e outra pessoa quer comprar, o problema é quando outras pessoas começam a se meter no meio querendo mandar no produto/dinheiro dos outros sem realmente contribuir nada para o processo, ou quando não existem formas viáveis de garantir que as partes cumpram o combinado.

Eon is offline   Reply With Quote
Jeep
fagmin
 

XFIRE ID: ds-jeep Steam ID: jeep_ds
13-11-13, 12:18 #88
eu acho que sao coisas diferentes, o refri e o pudim...

veja, no caso do pudim o cara comprou e se virou para cumprir as regras, pegando familia, amigos e trocando esforcos com a caridade local, mas o fato é que a empresa sabia que pulverizado ou nao, eles iam gastar 150k e ter um retorno monetario pifio, a ideia era a divulgacao e as vendas em decorrencia disso "nossa, experimentei para o concurso e acabei gostando, agora compro sempre". Basta ver que ate no Brasil isso virou noticia, o marketing teve sucesso.

No outro caso, concordo que nao tem toooooda a explicacao possivel, do tipo "apenas para consumo atraves da ingestao do liquido pela garganta do portador original do copo, nao podendo ser transferido, acumulado ou reutilizado no dia seguinte, nao podendo ser herdado nem, bom vc entendeu", mas é bem pratico entender que é apenas um "olha, se vc aguentar beber 5 copos fique a vontade", diferente de um "baldeie o conteudo para um container de sua preferencia e consuma no momento que achar adequado, mesmo que esteja quente e sem gas, apenas para promover o desperdicio e o huehuehue". Cara, é so uma promocao de refri de uma lanchonete, nao uma licitacao para obras da estacao espacial

No mais, a parte do funcionario defender é uma razao simples, a "regra" injusta nao escrita é "se der merda sai do seu salario"... E isso realmente é uma puta injustica, o funcionario de repente vira socio do dono quando da merda, mas nao na hora que da lucro. "Socializar as perdas, privatizar os lucros"

Jeep is offline   Reply With Quote
Blazed
Trooper
 

13-11-13, 12:24 #89
O refri eh USO PESSOAL. Vc bebe, so vc, deu share perdeu.

O pudim 120% suave

Larga de ser burro e comparar errado eon

Blazed is offline   Reply With Quote
SsjGohan
Trooper
 

13-11-13, 12:29 #90
Achei a promoção da america airlines muito pior
150k pra voar pelo resto da vida?

E realmente 150k é barato para algo q gerou comentários no mundo todo da façanha do cara.

O funcionário só defende o patrão assim pq não tem perspectiva de ir pra outor emprego.
Pq se td mundo fode a loja, o patrão fecha a loja e o funcionário vai pra rua.
Se ele tiver outro emprego fácil duvido q defenda desse jeito.

SsjGohan is offline   Reply With Quote
Eon
Trooper
 

13-11-13, 14:03 #91
Jeep, materialmente eu concordo que refri e pudim são casos diferentes, mas não estou olhando para os detalhes das regras e sim como elas são aplicadas.

No caso do pudim você tem um cara fazendo exploit pra conseguir viajar de graça do resto da vida, no caso do refri você tem um cara fazendo exploit pra conseguir refri pro resto da vida (ou da semana, sei lá). Ambos são exploiters.

Porém no caso 1 você tem um país onde contratos são respeitados e a empresa não pode voltar atrás sem dar uma booooooa explicação num tribunal, e isso faz um exploit dar certo aqui e acolá (lado ruim) enquanto na maioria dos casos os consumidores simplesmente são respeitados (lado bom) enquanto no caso 2 você tem um país onde contratos não são respeitados e isso faz com que um simples questionamento dos termos do contrato já te coloca na posição de um criminoso mesmo quando você tem uma certa razão (lado ruim) e mesmo quando você aceita os termos sem questionar ainda assim você é considerado um criminoso de antemão (lado ruim).

É claro que no caso 2 a situação fica desequilibrada, afinal de contas se a empresa pode voltar atrás e criar exceções sempre que ela sente que o consumidor vai levar alguma vantagem numa determinada situação mas o consumidor não tem o mesmo privilégio, então quem é que assume todo o risco dessa relação de consumo?

Numa situação equilibrada o consumidor tem que ter no mínimo a chance de questionar em pé de igualdade os termos do contrato, ou seja, para cada alegação que você fizer como consumidor deve existir a possibilidade de você estar certo também, não só a possibilidade de estar errado.

Quer dizer, você chega numa loja encontra uma promoção "encha o copo quantas vezes você quiser", teoricamente a loja não deveria ser tão rápida em querer desligar as máquinas ou chamar seguranças só porque você não interpretou a promoção do jeito que eles achavam que deveria ser, isso porque numa situação onde há conflito entre quem consome e quem oferece o produto JAMAIS deveria prevalecer a idéia de que o consumidor está errado por princípio... pelo menos em princípio esses moleques tinham o direito de estar ali tentando encher o galão com refrigerante, mesmo que fosse apenas pra provar um ponto e não para levar vantagem real.

Não é a gerente da loja que tem que se sentir "roubada" nem muito menos os seguranças se sentirem no direito de fazer justiça no lugar das verdadeiras autoridades, eles não estão ali para isso, o máximo que eles poderiam fazer é chamar a polícia e tentar levar isso para um tribunal, mas normalmente o que eles fazem é passar por cima do consumidor e ignorar sumariamente que ele também tem direitos.

E outra: tem empresário que é MUITO, mas MUITO burro, e não dá o treinamento devido para os funcionários. Nunca vou esquecer a primeira vez que fui numa sorveteria dessas que você pode experimentar o sorvete antes de comprar e olhei pra atendente querendo testar ela: "Ah, mas então eu vou querer experimentar todos!!!"

Ao que ela me respondeu sem pestanejar, sorrindo: "O senhor vai querer começar da esquerda para a direita ou da direita para esquerda?" Nem preciso dizer que na hora a marca me ganhou pra sempre, isso é marketing, isso é saber tratar o consumidor de forma decente, sempre nivelando por cima em vez de tratar todo mundo como bandido.

Quote:
Postado por Blazed Mostrar Post
O refri eh USO PESSOAL. Vc bebe, so vc, deu share perdeu.

O pudim 120% suave

Larga de ser burro e comparar errado eon
Você que não entendeu: as situações são irrelevantes, e eu estou questionando os princípios por trás das relações de consumo.


Last edited by Eon; 13-11-13 at 14:10..
Eon is offline   Reply With Quote
Jeep
fagmin
 

XFIRE ID: ds-jeep Steam ID: jeep_ds
13-11-13, 16:25 #92
Quote:
Postado por Eon Mostrar Post
"Ah, mas então eu vou querer experimentar todos!!!"

Ao que ela me respondeu sem pestanejar, sorrindo: "O senhor vai querer começar da esquerda para a direita ou da direita para esquerda?"
Eu sei, mas vc nao fez, né? pq pela regra dada, vc poderia ter realmente ter provado todos na quantidade que vc julgasse "experimentada", nao comprar nenhum, falar "ate logo", contar ate 5 e falar "oi, voltei, quero experimentar todos da direita para esquerda agora". É que nem quando chega alguem na sua casa e vc fala "fique a vontade", vc nao espera ter que explicar q nao é pra ele ir assaltar a geladeira e sentar de cuecao na poltrona da sala

o que quero dizer é que se as pessoas nao forem razoaveis, basicamente vc vai ter que levar um advogado cada vez que for na lanchonete para entender as regras promocionais.

Jeep is offline   Reply With Quote
Eon
Trooper
 

14-11-13, 10:04 #93
Não, eu não fiz é claro. Mas o que contou no caso foi a reação da mulher, entende o que eu quero dizer? Eu não faria o que eu ameacei fazer de qualquer forma, mas a liberdade de poder fazê-lo, ainda que pudesse não parecer "razoável" do ponto de vista até mesmo da própria atendente, é o tipo de relação de consumo que esperaria num lugar onde eu sou respeitado.

Porque convenhamos, se qualidade de atendimento e direitos do consumidor se restringisse a relações entre vendedores e compradores "razoáveis" assim ficaria fácil pra qualquer um, mas o que é que estaríamos medindo de fato?

Por isso que eu sempre digo: você só conhece a qualidade do atendimento de uma determinada empresa quando você precisa realmente dela, ou seja, quando você não pode contar com o script normal e precisa partir para a improvisação. Sabe aquela lanchonete que parece suuuuuper bacana mas quando você pede por favor faça meu hambúguer sem cebola e aí o cara anota o pedido como se estivesse fazendo um favor e a partir dali você fica imaginando que tem 50% de chances de ser efetivamente atendido? É disso que estou falando.

O nível no Brasil em geral é muito baixo, e isso é falta de concorrência, além é claro de falta de consciência do consumidor que as vezes é mal atendido e continua voltando no lugar (em geral por falta de opção melhor na mesma faixa de preço).


Last edited by Eon; 14-11-13 at 10:10..
Eon is offline   Reply With Quote
Baron
Trooper
 

18-11-13, 21:56 #94
Quote:
Postado por Eon Mostrar Post
Acho que a discussão sobre o tamanho do estado deve ser pautada mais pela noção de liberdade individual do que eficiência econômica, e é aí que o Baron acaba se perdendo completamente na argumentação.
Você está completamente correto. Na ânsia de responder a várias pessoas, que tratam de temas totalmente distintos, eu misturo os assuntos e no final das contas a argumentação fica completamente inútil.

Ponto observado e anotado.


Quote:
Postado por Bombastic Mostrar Post
o "saber" que disse ali em cima, era em relação a sua opinião mesmo, pois obviamente neste caso não existe certo e errado

Imagino que a gente acredite em coisas MUITO similares nesta questão de livre mercado/economia/governos

Queria saber +-, se você tiver um tempo, quais são os pontos mais críticos que você acha que o governo deveria intervir de alguma maneira pra ver o quão próximo ou distantes estamos nisso hehe
Eu sou a favor da liberdade individual, que por consequência traz a iniciativa privada junto. Qualquer coisa que o estado faça para cercear a liberdade individual tem o meu repúdio.

A questão é que as pessoas já perderam a noção sobre o que é liberdade individual. Minha liberdade individual termina aonde começa a do outro. Então não, jogar uma pedra na casa do vizinho não é "liberdade individual", é crime contra o patrimônio. Digo isso só para dar uma resposta de antemão aos que não sabem o que significa liberdade individual.

Um povo que vive para servir o governo, como é o caso do Brasil, vive numa ditadura. E eu não gosto de ditaduras, simplesmente porque o que elas mais fazem é atacar, mais cedo ou mais tarde, a liberdade individual.

na questão econômica:
Sou totalmente contra a formação de monopólios que possuem interferência estatal. Isso inclui até mesmo a polícia e demais serviços públicos. Não sou contra o estado ser um player comum no mercado, nada impede que um estado concorra livre e abertamente, mas criar barreiras para que os demais players tenham dificuldade em disputar os consumidores do mercado é o que traz a grande parte dos problemas tanto no Brasil como no resto do mundo.

Baron is offline   Reply With Quote
Eon
Trooper
 

19-11-13, 09:31 #95
Cara, eu sou contra o Estado atuando como player, justamente porque ele jamais será um player comum... como é que pode haver competição justa se um dos players participar ao mesmo tempo como juiz do jogo?

Por mais que o Estado se disponha a participar de forma neutra isso acaba não dando certo, a tentação é grande demais, ele sempre acaba usando seu poder e tamanho para ferrar o mercado de alguma forma.

Eon is offline   Reply With Quote
SsjGohan
Trooper
 

19-11-13, 10:27 #96
Legal q as argumentações do baron são a opinião dele sobre algo
Construtivo pra kct


SsjGohan is offline   Reply With Quote
Eon
Trooper
 

19-11-13, 11:45 #97
Esse negócio sobre criar barreiras me lembra uma entrevista que vi com um americano, não lembro qual era o contexto nem quem era o entrevistado, mas o cara dizia algo do tipo "se os irmãos wright estivessem tentando inventar o avião hoje em dia nos EUA eles teriam tantos problemas com autorizações governamentais que acabariam não inventando coisa alguma".

Se o cara diz isso dos EUA, onde existe uma cultura de inovação mesmo com essas dificuldades, imagina a nossa situação aqui no Brasil...

EDIT: Acabei de lembrar sobre o surgimento da TV a cabo nos EUA. Lá haviam lugares onde o sinal de TV simplesmente não chegava, então parece que uns caras tiveram a idéia de usar antenas gigantescas para captar o sinal para depois distribuir via cabo para as residências, cobrando uma taxa pelo serviço. E assim surgiu a TV a cabo. Se fosse no Brasil esses caras seriam processados por roubo de sinal, quebra no monopólio das telecomunicações ou algo do gênero! rs.

EDIT2: OLHA A PROVA DE QUE REGULAMENTAÇÃO SÓ DÁ MERDA:

"Although the rise of free broadcast television during the 1950s greatly damaged Hollywood, many in the entertainment industry saw the great potential profitability of offering television for a fee. After 25 million American televisions tuned to a musical version of Cinderella in 1957, for example, executives calculated that had Hollywood received $0.25 for each TV, it would have earned more than $6 million in one day without distribution costs.[3] Due to many legal, regulatory, and technological obstacles, however, cable television in the United States in its first twenty-four years was used almost exclusively to relay over-the-air commercial broadcasting television channels to remote and inaccessible areas. It also became popular in other areas which were not remote, but whose mountainous terrain caused poor reception over the air. Original television programming came in 1972 with government deregulation of the industry.[1]"

Ou seja, TV por assinatura com conteúdo original começou nos EUA com 20 de atraso também, porque só em 1972 o governo tirou as regulamentações da indústria e permitiu que as pessoas simplesmente... trabalhassem.


Last edited by Eon; 19-11-13 at 11:52..
Eon is offline   Reply With Quote
maurocool
 

PSN ID: maurocool-maurasia Steam ID: maurocool
19-11-13, 11:49 #98
Quote:
Postado por Eon Mostrar Post
Cara, eu sou contra o Estado atuando como player, justamente porque ele jamais será um player comum... como é que pode haver competição justa se um dos players participar ao mesmo tempo como juiz do jogo?
a PEC37 era sobre isso, não?

maurocool is offline   Reply With Quote
Baron
Trooper
 

19-11-13, 16:50 #99
Quote:
Postado por SsjGohan Mostrar Post
Legal q as argumentações do baron são a opinião dele sobre algo
Construtivo pra kct

LOL. Estou respondendo o bombastic, que perguntou a minha opinião.

Se você quiser textos eu tenho um monte. E cada vez mais.

Baron is offline   Reply With Quote
Bombastic
The Alpha Male
 

20-11-13, 08:49 #100
Quote:
Postado por Baron Mostrar Post
Eu sou a favor da liberdade individual, que por consequência traz a iniciativa privada junto. Qualquer coisa que o estado faça para cercear a liberdade individual tem o meu repúdio.

A questão é que as pessoas já perderam a noção sobre o que é liberdade individual. Minha liberdade individual termina aonde começa a do outro. Então não, jogar uma pedra na casa do vizinho não é "liberdade individual", é crime contra o patrimônio. Digo isso só para dar uma resposta de antemão aos que não sabem o que significa liberdade individual.

Um povo que vive para servir o governo, como é o caso do Brasil, vive numa ditadura. E eu não gosto de ditaduras, simplesmente porque o que elas mais fazem é atacar, mais cedo ou mais tarde, a liberdade individual.

na questão econômica:
Sou totalmente contra a formação de monopólios que possuem interferência estatal. Isso inclui até mesmo a polícia e demais serviços públicos. Não sou contra o estado ser um player comum no mercado, nada impede que um estado concorra livre e abertamente, mas criar barreiras para que os demais players tenham dificuldade em disputar os consumidores do mercado é o que traz a grande parte dos problemas tanto no Brasil como no resto do mundo.
como que as leis seriam fiscalizadas? pelo proprio mercado?

ie: existe um crime contra o patrimonio, quem seria a "policia"? qualquer empresa? como que saberiamos que não está havendo algum abuso(sim, o estado pode abusar e abusa hj em dia)...

Bombastic is offline   Reply With Quote
SsjGohan
Trooper
 

20-11-13, 08:54 #101
To esperando as respostas para as perguntas básicas q eu fiz na outra página.
Pode linkar ai, sem problemas.

Acho q vc ainda não entendeu q eu acho legal essa conversa.
O problema é q ela está sendo unilateral.
Na realidade um monologo meu perguntando ao vazio.

SsjGohan is offline   Reply With Quote
douglas
Trooper
 

10-01-14, 00:25 #102
Assisti essa playlist sobre o pensamento liberal e as suas diferentes vertentes e resolvi compartilhar, acredito que possa colaborar e esclarecer algumas coisas
Obs.: Clicar no link do YouTube acima do vídeo abrirá a playlist com os vídeos em sequência.

douglas is offline   Reply With Quote
Responder

Tags
libertarianismo, mises

Thread Tools

Regras de postagem
Você não pode criar novos tópicos
Você não pode postar
Você não pode enviar anexos
Você não pode editar seus posts

BB code is On
Smilies are On
[IMG] code is On
HTML code is Off

Atalho para Fóruns



O formato de hora é GMT -2. horário: 10:34.


Powered by vBulletin®
Copyright ©2000 - 2018, Jelsoft Enterprises Ltd.
User Alert System provided by Advanced User Tagging (Lite) - vBulletin Mods & Addons Copyright © 2018 DragonByte Technologies Ltd.